Newsletter

Formalização dos negócios na pauta da Comissão de Combate à Informalidade da Fecomércio-RS

12 de julho de 2017

A reunião do novo grupo de trabalho que forma a Comissão de Combate à Informalidade da Fecomércio-RS ocorreu nesta quarta-feira (12), na sede da Federação. Sob a coordenação do vice-presidente André Roncatto, a pauta trouxe além das agendas do grupo de trabalho no interior do Estado, em atuações que vão do combate às feiras itinerantes à venda de produtos falsificados, mais informações sobre o projeto da Redesimples, uma parceria do Sebrae, Junta Comercial e outros órgãos públicos que busca a integração das empresas em um canal único de dados.

A Redesimples é o conjunto de sistemas informatizados, interoperáveis que foram colocados à disposição do cidadão para realizar o processo de registro e legalização das pessoas jurídicas (inscrição, alteração e baixa) no âmbito da União, Estados e Municípios.

A gestora Redesimples do Sebrae/RS Janaina Zago Medeiros falou que a premissa do projeto é fazer circular comunicação entre todos os envolvidos, gerando informações prévias disponíveis aos empresários e redução da burocracia desnecessária. Conforme contou, o principal efeito de se ter um sistema não integrado é a informalidade.

“A facilitação a partir da Redesimples gera a formalização dos negócios. Já são 80 prefeituras integradas, mais de 89 mil consultas de viabilidade desde 2015, e o prazo médio de registro esta em 31 dias”, disse. Ela ainda citou o exemplo da cidade de Farroupilha, que levava 400 dias para a formalização de uma empresa e que, a partir da adesão à Redesimples, agora leva dois dias.