Newsletter

Nova pesquisa da Fecomércio-RS ajuda a entender cotidiano das empresas gaúchas

24 de agosto de 2017

Sondagens semestrais serão realizadas com minimercados, varejo de vestuário e atacados

Um novo produto para ajudar a conhecer melhor o cotidiano das empresas gaúchas acaba de ser finalizado pela Fecomércio-RS. São as primeiras sondagens com os segmentos de Minimercados e Varejo de Vestuário optantes pelo Simples Nacional, e Atacados. O Atacado e os Minimercados foram pesquisados no início de abril, enquanto o Varejo de Vestuário foi pesquisado no final de junho. A sondagem pode ser acessada aqui..

Em cada segmento foram entrevistadas 385 empresas, em todo o Rio Grande do Sul. Os resultados das pesquisas mostram que, na avaliação dos entrevistados, os últimos meses não foram positivos para os negócios. A maioria absoluta dos três segmentos classificou os seis meses anteriores ao período pesquisado como ruim ou regular em termos de desempenho de vendas.

Quando questionada sobre os principais empecilhos para o crescimento, a maioria dos entrevistados nos três segmentos aponta questões externas ao cotidiano da empresa, como carga tributária, concorrência, baixa demanda e falta de crédito. Poucos são os que reconhecem a falta de estratégia e planejamento como fatores decisivos. Aliado a isso, verifica-se o baixo índice de profissionalização de uma parcela dos entrevistados, em todas ou pelo menos em uma das quatro dimensões analisadas: estruturação das finanças do negócio; controle de vendas e estoques; treinamento de funcionários e relação com o cliente. Sobre expectativas para o futuro, a maioria absoluta espera resultados melhores.

A intenção da Fecomércio-RS é tornar estas sondagens periódicas para criar um perfil dos segmentos pesquisados. No segundo semestre, o setor de óticas deve ser incluído. As sondagens serão realizadas a cada seis meses com um conjunto de perguntas fixas e outro variável. A Fecomércio-RS quer conhecer melhor o cotidiano das empresas: como estruturam suas finanças, como elaboram suas estratégias, se treinam ou não seus funcionários, como se relacionam com seus clientes etc. A economia brasileira impõe uma série de impedimentos para o crescimento das empresas, porém há elementos fundamentais que cabem às empresas tratarem internamente, o que se torna ainda mais relevante num cenário de crise.

“Uma economia só cresce se as empresas crescem e nós estamos empenhados nesse propósito: o de ajudar as empresas a crescerem”, afirma Luiz Carlos Bohn, presidente da Fecomércio-RS. As sondagens funcionam como orientadoras de capacitações que o Sistema Fecomércio-RS e todos os seus sindicatos poderão oferecer para seus representados, no sentido de suprir necessidades cotidianas dos seus negócios.

Números que se destacaram na 1ª sondagem:

– Reconhecem a falta de estratégia e planejamento como um empecilho para o crescimento das vendas: Atacado (1,6%); Minimercados (0,5%) e Varejo de Vestuário (0,3%);
– Apresentam contabilidade do negócio e de seus donos misturadas: Atacado (13,0%); Minimercados (24,2%) e Varejo de Vestuário (16,1%);
– Não há controle informatizado nem de estoque nem de vendas: Atacado (13,8%); Minimercados (36,4%) e Varejo de Vestuário (14,3%);
– Não treinam novos funcionários: Atacado (13,2%); Minimercados (19,0%) e Varejo de Vestuário (8,3%);
– Não usam redes sociais para relacionamento e promoção do negócio: Atacado (36,6%); Minimercados (66,0%) e Varejo de Vestuário (20,0%);