Newsletter

Ensino técnico e empreendedorismo foram exaltados por Max Gehringer na palestra em Porto Alegre

8 de maio de 2018

 

João Alves

O especialista em carreira realizou a abertura da 13° Feira de Oportunidades do Senac-RS na noite da última segunda-feira e reuniu mais de 2 mil pessoas no auditório Araújo Vianna

A abertura oficial da 13° Feira de Oportunidades do Senac-RS aconteceu na noite da última segunda-feira (7/5), no auditório Araújo Vianna. Na ocasião, cerca de 1700 pessoas realizaram cadastro para vagas de emprego disponibilizadas por empresas de RH e Sine. O diretor do Senac-RS José Paulo da Rosa, juntamente com o diretor do Sebrae, Derly Cunha Fialho e o secretário de educação do Estado, Ronald Krummenauer, realizaram um painel de abertura sobre educação profissional e o atual cenário do mercado brasileiro. A grande atração da noite ficou por conta do especialista em carreira, administrador e escritor Max Gehringer que, com muito bom humor, falou sobre empreendedorismo, ensino técnico, relação entre chefe e empregado, postura profissional, mercado e recursos humanos, por cerca de 1h30 para um público de 2800 pessoas.

Durante a palestra, Gehringer ressaltou a importância do ensino técnico, de modo a priorizar os cursos mais rápidos, antes de realizar uma faculdade: “Ensino técnico é fundamental, garante um emprego e permite que a pessoa comece a trabalhar aos 17 anos, o que é maravilhoso. Depois sim, podemos fazer uma faculdade” – afirmou. O escritor justificou sua afirmação visto que esse tipo de qualificação permite a inserção no mercado de trabalho mais cedo e isso faz a diferença na hora de contratar: “Quando eu vou contratar uma pessoa não olho para o diploma e sim para as experiências que ela tem em seu currículo, e o quanto ela pode contribuir para a empresa” – explica.

Grande propulsor do empreendedorismo, Gehringer acredita que ser empreendedor é a profissão do futuro e, para isso, as pessoas precisam descobrir o seu talento, estudá-lo e transformá-lo em dinheiro: “Todo mundo aqui tem um talento. Por exemplo, eu sei fazer bolinhos muito bem, todos gostam, posso começar a vender bolinhos e futuramente  transformar em franquia”. O administrador afirma ainda, que no passado todos queriam ser empregados: “Sempre que as pessoas eram questionadas sobre qual carreira seguir, a maioria já citava profissões, pouquíssimas queriam ter o seu próprio negócio. Quem dizia que queria ser empresário, era porque a família já tinha algo para tocar. Hoje em dia esse cenário mudou, a maioria dos jovens já quer ser dono de sua própria empresa’” – completa.

O palestrante defendeu que o empresário deve ser teimoso. Se falir uma vez, deve tentar novamente, se não der certo na segunda, na terceira existe 90% de chance de dar certo, visto que o ser humano aprende com os erros e tem uma capacidade enorme de superação. “Muitos querem ser empresários, pois não tem emprego e terá cada vez menos”. Contudo, o alto número de quebra das empresas dá-se devido a falta de informação e também à qualificação de quem está na linha de frente do empreendimento”, aponta.

O administrador também abordou sobre a postura de chefes e empregados, contando inúmeros casos que já passou em sua vida de chefe. “O chefe é um cargo temporário de quem toma decisões. As pessoas contratadas não são admitidas para serem um sucesso e sim para realizar o trabalho que deve ser feito. Se o trabalho for bem feito, com certeza será um sucesso”.

A Feira de Oportunidades segue com atividades gratuitas em todas as escolas do Senac-RS até o próximo sábado (12/5). A programação completa e inscrição para os workshops, palestras e oficinas podem ser conferidos no site www.senac-rs.com.br/fo.