Newsletter

Selic no novo mínimo histórico

7 de fevereiro de 2020

O Comitê de Política Monetária (Copom), em reunião realizada na última quarta-feira (05/12/2019), decidiu cortar novamente a taxa básica de juros da economia brasileira (taxa Selic) em 0,25 p.p., deixando a taxa em 4.25% a.a., nova mínima histórica. A decisão foi unânime entre membros do Copom, e o comunicado, mais uma vez, reiterou que a conjuntura econômica prescreve uma política monetária estimulativa. Entretanto, o comunicado também deixou claro que “vê como adequada a interrupção do processo de flexibilização monetária”.

O Copom considerou em seu comunicado que apesar do cenário externo ser ainda favorável às economias emergentes, houve recentemente um aumento da incerteza, e que a deterioração mais acelerada desse cenário poderia representar um risco para a dinâmica inflacionária. Além disso, há os riscos relacionados à defasagem da política monetária, à potencialização da mesma num cenário de transformações na intermediação financeira e no mercado de crédito e de capitais bem como a frustração da continuidade da agenda de reformas.

A considerar o ponto em que esteve mais alta (14,25% a.a.) até o atual momento (4,25% a.a.) os juros caíram 10 pontos percentuais. A fraca recuperação da atividade, com elevado grau de ociosidade, permitiu que a inflação permanecesse baixa, possibilitando o afrouxamento monetário que levou a taxa de juros a um patamar inimaginável. A consolidação de forma permanente, todavia, dependerá de outros fatores, com destaque à busca do equilíbrio permanente das finanças públicas.