Newsletter

Educação e atuações ilegais na área de leilões são temas de encontro da Comissão de Agentes Autônomos do Comércio

14 de setembro de 2020

Divulgação Fecomércio-RS

A Comissão de Agentes Autônomos do Comércio, da Fecomércio-RS, reuniu-se na tarde desta quinta-feira (10/09), sob a coordenação do Vice-Presidente Élvio Ranzi, e no centro das discussões estiveram três temas bastante sensíveis e de muito interesse para os gaúchos. O grupo debateu sobre o andamento da reforma tributária estadual e também sobre as preocupações relacionadas à educação infantil e ao crescimento das atuações ilegais no ramo dos leilões, em especial neste período de pandemia.

Iniciando as discussões, o economista da Fecomércio-RS Lucas Schifino explanou sobre o andamento da reforma tributária gaúcha, lembrando da cartilha divulgada pela entidade, em que é apresentado a toda sociedade o posicionamento em relação ao tema. “A federação tem atuado fortemente em relação à reforma tributária e embora alguns parlamentares sejam contrários, ressaltamos na cartilha tanto os pontos positivos, quanto as partes a serem melhoradas e também os seus aspectos negativos”, ponderou Schifino. O documento mostra propostas e impactos que precisam ser considerados no que diz respeito à carga tributária. “O projeto começa a trancar a pauta já na próxima semana e seguimos nos posicionando, trabalhando para que estes pontos sejam incluídos e considerados. É importante lembrar que, caso o texto não seja aprovado, o governo enviará um projeto de manutenção das alíquotas. Precisamos ter em mente este cenário alternativo, caso a reforma não seja aprovada, teremos outra etapa pela frente para evitar a manutenção das alíquotas”, alerta o economista.

O segundo tema do encontro foi levantado pela presidente do Sindilei-RS, Neila Santos, e envolve crimes que estão afetando milhares de pessoas em todo o Brasil: os sites falsos de leilões.

O último tema do encontro foi a educação infantil. A presidente do Sindicreche-RS, Carina Koche, discorreu sobre a forte preocupação quanto ao retorno às aulas. “A situação dos estabelecimentos está bem complicada e depois de muita batalha conseguimos a autorização com o governo do estado para o retorno por meio do decreto de 5 de setembro e agora estamos trabalhando caso a caso nas cidades observando as bandeiras e negociando com as prefeituras”, explicou ela, comemorando que o PL 195/2020 foi aprovada pelo Senado na noite desta quarta-feira e segue agora para a Câmara dos Deputados. O PL 195/2020 aborda entre outros pontos a postergação do pagamento do Simples e o seu parcelamento e, segundo Carina, isto é bastante importante para o momento que as empresas estão vivendo. “Dependemos bastante desta aprovação também na Câmara, com isso temos uma sinalização de melhoria, mas o contexto é muito delicado. Toda semana estamos vendo escolas fechando e a ida destas crianças para a rede pública não será a solução.