Newsletter

Painel da Fecomércio-RS na Feira Brasileira do Varejo debate futuro das empresas no cenário pós-pandemia

9 de agosto de 2021

Transformação digital e foco no cliente foram pontos discutidos por especialistas na noite desta segunda-feira (09/08)

 

Novas conexões, conteúdos de interesse para o cliente e retenção de dados: a pandemia de Covid-19 trouxe desafios para o varejo, para o empreendedorismo e para as relações. Sob esse viés, a complementação entre a cultura digital e o retorno das atividades presenciais esteve em debate na noite desta segunda-feira (09/08), no painel “Retail Revolution By Fecomércio”, apresentado pelo Sistema Fecomércio-RS/Sesc/Senac durante a 8ª edição da Feira Brasileira do Varejo (FBV). A atividade on-line contou com a participação do CEO e cofundador da Summit Hub, Marcus Rossi, e do publicitário e diretor comercial da Valdac Global Brand, Wesley Ribeiro, com mediação do gerente de Educação Profissional do Senac-RS, Ariel Berti.

Em sua fala de abertura, o presidente do Sistema Fecomércio-RS/Sesc/Senac, Luiz Carlos Bohn, destacou que as empresas precisam se reinventar diariamente, e o último ano, de pandemia, serviu de mola propulsora para uma mudança ainda maior. “A pandemia acelerou algumas transformações e esse cenário atípico trouxe novas demandas e necessidades. Vivemos a era da adaptabilidade. Precisamos interpretar o novo como uma oportunidade única para o crescimento empresarial e debater sobre a inovação transformadora, trazendo a revolução do varejo como uma solução para as empresas que querem olhar para o futuro pensando na tão esperada retomada econômica”, disse.

Conforme Marcus Rossi, para evoluir é preciso aceitar que modelos que faziam sentido podem perder o porquê de existir. “A vida empresarial é uma evolução constante. A pandemia nos mostrou que o ser humano é o foco de tudo e impulsionou a digitalização. A partir do momento que a vida vai retornando a normalidade, vemos um cenário de complementação entre o digital e do presencial”, afirmou. Ele citou as plataformas gratuitas como aliadas dos varejistas e a necessidade de aprender novas possibilidades dentro do mercado digital: “É preciso saber analisar os dados e usá-los para impactar os clientes. Criar conteúdos faz com que as pessoas se conectem à sua marca através de autoridade e experiências”, acrescentou.

“Hoje quem manda é o consumidor e o varejista tem que saber disso”, garantiu Wesley Ribeiro. Segundo ele, o futuro do varejo é híbrido. “O legado que fica é o digital. Cabe ao varejista o bom senso de utilizar a análise de dados, usar a inteligência artificial em seu favor e trabalhar com conteúdos de interesse ao cliente para capitalizar produtos e serviços e prender essa audiência”, discorreu.

O mediador Ariel Berti levantou a questão da educação como fundamental para a retomada das atividades econômicas: “É indispensável ter disciplina para executar as ações e educação para buscar a proficiência digital”. O CEO Marcus Rossi salientou que, para evoluir, é necessário aprender a errar. “Estar aberto a ouvir pessoas e testar processos diferentes, estar disposto a entender que o mercado muda todos os dias e se preparar”, citou.

O publicitário Wesley Ribeiro reforçou a importância da empatia, da experiência gerada pelas lojas físicas e do olhar atento no cliente, cada vez mais exigente. “Hoje os negócios têm que ser sustentáveis, com preocupação ambiental e social. É preciso ter preparo da equipe e responsabilidade com os colaboradores. As empresas devem incorporar uma cultura de escola, trazendo algo de construtivo para funcionários e sociedade”, finalizou.

A 8ª edição da Feira Brasileira do Varejo (FBV) ocorre no formato 100% on-line e gratuito. Realizado pelo Sindilojas Porto Alegre, o evento segue nos dias 16, 23 e 30 de agosto. Mais informações e inscrições podem ser obtidas pelo site www.feirabrasileiradovarejo.com.br.