Newsletter

Em reunião com presidente do Senado, José Roberto Tadros defende desenvolvimento econômico do país

1 de setembro de 2021

Em primeira visita à Confederação, Rodrigo Pacheco destaca a importância da representatividade do setor terciário para avanço das reformas e agendas do futuro

O senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG), presidente do Senado Federal, visitou pela primeira vez a sede da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) na segunda-feira (30), em Brasília. Em encontro com o presidente da entidade, José Roberto Tadros, debateu a importância do desenvolvimento econômico do País, considerando a formação de mão de obra profissional e o desenvolvimento social, iniciativas desenvolvidas pelo Sistema S, em especial Sesc e Senac, no âmbito do comércio.

“Nessa estrutura do Brasil tem uma parte importante dessas confederações, em especial da CNC, pela dimensão, amplitude e pelo alcance social. É muito importante que a CNC se faça representar, como já vem fazendo, defendendo uma sociedade mais justa. Coloco o Congresso Nacional à disposição, para que possamos fazer o amadurecimento devido das proposições legislativas em favor dos brasileiros”, afirmou Rodrigo Pacheco, destacando o debate no Legislativo sobre as reformas administrativa e tributária e as medidas provisórias.

O presidente da CNC destacou a importância de se construir uma agenda do futuro, cuja distribuição de riqueza esteja na mão da população e não em cima de tributos desnecessários. Ele reforçou ainda que o Sistema S é um programa de Estado, que trabalha para minimizar o déficit da população em áreas como educação e desenvolvimento social.

“Nós cumprimos rigorosamente nossos preceitos e somos fiscalizados por órgãos como TCU e CGU. Com muito conhecimento, o senador entende que esse sistema trabalha voltado para o Brasil do futuro. Estamos pensando em um país para nossos filhos e netos”, afirmou Tadros.

Participaram do encontro o vice-presidente financeiro da CNC, Leandro Domingos, o chefe da Divisão Jurídica da entidade, Alain MacGregor, e o presidente da Fecomércio-DF, José Aparecido Freire.