Newsletter

Pesquisa da Fecomércio-RS sobre Salões de Beleza capta impacto e reação do segmento no contexto da crise

22 de setembro de 2021

@iStock

A Fecomércio-RS divulga nesta quarta-feira, dia 22, a nova edição da sua Sondagem de Segmentos para o setor de Salões de Beleza. Os dados deixam evidente que 2020 foi um ano muito difícil para o segmento. Além dos 1,6% que referiram fechamento durante o período, para 28,1% dos negócios as perdas superaram 50%, 38,2% tiveram redução entre 25% e 50% e para 25,7% as perdas ficaram entre 10% e 25%.

Na tentativa de mitigar as perdas, 42,6% adotaram alguma medida, com destaque para as promoções, ação indicada por 75,6% desses que tomaram iniciativa, seguida por ações de divulgação (18,3%). “Os resultados da sondagem apontam para a realidade de um dos setores mais afetados pela pandemia, que tem reagido diante da melhora da situação permitida pelo avanço da vacinação. Ainda assim, fica claro o longo caminho para esses negócios recuperarem as perdas ocorridas”, comentou o presidente da Fecomércio-RS, Luiz Carlos Bohn.

Apesar das dificuldades, o cenário em direção ao controle da pandemia tem permitido a reação das vendas, mesmo que de maneira ainda contida. Embora as vendas no primeiro semestre tenham ficado estáveis em relação ao último semestre de 2020 para pouco menos de um quarto (24,2%), para 63,9% as vendas aumentaram, mesmo que pouco.

Para o futuro, vindo de tempos muito difíceis, mas sentindo a melhora gradual em curso, as expectativas são positivas para a grande maioria do segmento (93,8%): mais comedidas para 54,3% dos entrevistados, que esperam que suas vendas nos próximos seis meses melhorem um pouco, e muito otimistas para 39,5% dos empresários, que esperam que melhorem muito.

Perfil do segmento

Além de aspectos conjunturais, a pesquisa traz aspectos sobre a caracterização do segmento. Sobre tempo de existência e número de trabalhadores, 37,9% dos negócios tinham mais de 10 anos de existência, 17,9% de 5 a 10 anos e 26,5% de 3 a 5 anos, com a maioria (78,4%) das empresas tendo no máximo 10 pessoas trabalhando em seu estabelecimento, sendo 43,6% com no máximo 5 pessoas. Entre os trabalhadores, em 77,1% dos salões os profissionais de serviços de beleza são autônomos, recebendo um percentual do que faturam com o serviço.

A pesquisa foi realizada entre os dias 04 e 24 de agosto 2021. No total, foram realizadas 385 entrevistas em todo o Estado com estabelecimentos do segmento, selecionados de forma aleatória.

Veja aqui a Sondagem completa.